A preocupação era só ser feliz!

Esses dias eu parei para pensar como minha infância era boa apesar dos momentos trágicos que vivenciei. Eu era uma criança até feliz. Eu não era boa em me comunicar, mas quem me conquistava tinha o melhor de mim, eu até dividia meu vídeo game (isso significava que eu amava muito a pessoa). Então comecei a me recordar das coisas que mais me marcaram.

infancia

1 – Boneca para maquiar: Eu nem lembro o nome da boneca, mas passava horas com aqueles estojos com milhões de sombra, blush e tudo mais, no fim, a boneca sempre fica terrível, mas eu nunca desisti!

2 – Tamagotchi: Até hoje eu quero um, meu bichinho morria todo dia. Na época que eu tinha, foi proibido levar pra escola, aí que ele morria mesmo #R.I.P

Mario: O certo seria falar de vídeo-game, que eu era viciada, mas esse jogo me marcou tanto! Eu disputava com meus primos quem ficava mais tempo sem perder vida. Eu sempre perdia, claro!

4 – Gangorra: Meu avô fazia uma de madeira, sabe?! Duas cordas, uma madeira e o galho de uma árvore. Eram os ingredientes para me entreter a tarde inteirinha. Uma vez meu primo foi fazer graça e tentar ir mais alto que todo mundo, a corda arrebentou com ele lá no alto. Temos até uma foto disso rs

5 – Meninas Super Poderosas: Eu amava imaginar que era a Florzinha… forte, inteligente, meiga, e na minha cabeça ela era a líder, então sempre que minhas primas e eu íamos brincar de Super Poderosas, eu era ela. Até pintei o cabelo de vermelho pra imitá-la (e eu já tinha quinze anos.)

6 – IoIo: Ah, era uma disputa. Eu não sabia fazer nada, mas só de ter um IoIo com o símbolo da Coca Cola, era motivo de se achar, Também foi proibido na escola, o recreio nunca mais foi o mesmo,

7 – Donkei Kong: Que jogo maravilhoso! Macacos fazendo macaquices, uma macaca loira (diva) e horas de diversão na mesma fase (nunca passei do primeiro mundo). Acho que eu já fui viciada em games. ps: ainda sou.

8 – Dragon Ball: Foi o primeiro anime que eu vi e amei! Eu lembro que as garotas da turma me zoavam dizendo que era coisa de menino, mas eu nunca perdia. Lembro que esperei ansiosamente pela transformação do Goku e a programação foi interrompida por causa do atentado lá nas torres gêmeas. Eu não entendi o significado do alarde naquela época, mas hoje até que entendo.

Muitas outras coisas me fizeram feliz, como amarelinha, corda, rede, subir no pé de jabuticaba e ver o pôr do sol, lavar o carro do tio só para brincar com a mangueira, fazer lama e ficar rolando (e depois apanhar), tentar fazer uma casinha na árvore que nunca ficou pronta. Ah, muitas coisas, mas nada supera a sensação de deitar com a cabeça em paz, sem nenhum problema e sem pensar no amanhã, eu daria (quase) tudo para ser assim novamente. E você? Sente falta do quê?

Anúncios