Voltei \õ/

Bom, eu tentei mais uma vez escrever sem me importar com as pessoas que liam, mas por motivos de “as pessoas perto de mim não entendem que nem tudo que escrevo é indireta” eu acabei desistindo e voltando ao anonimato. Não que eu tenha vergonha, mas não gosto de ficar ouvindo sermão toda vez que escrevo uma crônica onde o final não é feliz. Por que é tão difícil ver que eu não tô triste ou coisa do tipo, é só um texto!

Eu gosto muito de escrever sobre coisas aleatórias, eu não tenho um estilo tão fashion assim e as maquiagens que eu gosto não são as mais lindas do mundo, mas não acho que isso seja motivo pra pegarem tanto no meu pé. Talvez eu pense errado, mas será que cada um não tem o direito de ser do seu jeitinho? Seja atrapalhado, descolado, introvertido, bobão etc..

Eu tava indo bem no outro blog, mas quando as pessoas pararam de comentar nos post’s pra irem me procurar pessoalmente ou no FB pra perguntar “Você tá triste? É que seu último post foi muito depressivo, tem tomado remédio direitinho?” comecei a desanimar muito, até que abandonei. Acho que tem cerca de 2 meses que não posto nada lá, só que eu sinto falta. A ideia de ter um lugar pra falar sobre meu mundo me trás uma certa paz e me ajuda a colocar os pensamentos no lugar.

Bom, dito isso, eu voltei! Amanhã já pretendo começar a colocar todas as ideias no papel <3

Anúncios

Vamos ser presidentes!

Só eu que amo digitar na urna?

Só eu que amo digitar na urna?

Muita gente tem pavor da palavra política, alguns dizem que são apolíticos e outros acham que só são políticos aqueles que estão no poder. Eu sei que parece um assunto muito chato, mas é por causa desse pensamento nosso que pessoas tão despreparadas assumem o poder no nosso país. Tem muito tempo que eu tô tentando escolher candidatos para voltar e confesso que para alguns cargos eu ainda tenho dúvidas porque nenhum tem um conjunto de propostas que me agrade 100%.

No começo da minha vida eleitoral, eu só anulava. Tudo bem que eu só participei de uma eleição até hoje, mas eu percebo o quanto eu mudei. Antes eu anulava ou votava em quem meu pai achava ser melhor, não faço ideia se eram boas pessoas. Que arrependimento. Hoje eu vejo o quanto nosso voto vale. Eu pensava que era só um voto e que não faria diferença, mas se todo mundo pensar assim, o que vai ser de nós?

Durante as manifestações desse ano e do ano passado, eu pude ver a força que nós temos, realmente somos um gigante! Só que as vezes eu acho que o gigante voltou a dormir. Nós jovens temos a mania de achar que não devemos participar da política porque isso é coisa para os mais velhos, e os mais velhos acham que nós não participamos por falta de capacidade. Isso tá completamente errado! Eu concordo que é preciso um mínimo de informação e de interesse para se candidatar a presidente, por exemplo. Mas não é preciso nenhuma formação especial para perseguir (no bom sentido) os candidatos que elegemos. Não basta ir para as ruas com faixas e paralisar a cidade. Cidadania é mais que isso.

Na hora de votar que podemos mostrar que somos uma nação forte e democrata. Apesar de achar o sistema eleitoral brasileiro um pouco falido, por causa da facilidade de fraude e a anonimidade inexistente do voto, eu ainda acredito que a nação pode falar mais alto. Independente de quem seja eleito, nosso dever é fiscalizar.

Outro dia eu brinquei aqui em casa que vou me afiliar a algum partido. Apesar de ter sido uma brincadeira, depois eu levei isso muito a sério. Eu tenho vergonha de dar a cara a tapa e me expor durante uma eleição, imagina que vergonha ter que falar na televisão as suas propostas ou ter várias fotos espalhadas pela cidade com um número para voto, SOCORRO! Por outro lado, eu me sinto na obrigação de correr atrás disso, porque muito eu falo em mudanças e que precisamos de melhoria, mas nada faço. Eu aponto defeito em tantas coisas, invento soluções, que nada valem se não tiverem ações. E qual a melhor forma de fazer alguma coisa quando as pessoas que você escolhe para fazer não fazem? Faça você mesmo! Então vamos nos candidatar, vamos fundar partidos, vamos lutar, sei lá, vamos fazer!

Alguns sociólogos diziam que não há mudança sem revolução, então acho que tá na hora de começar essa revolução. Domingo pode ser um grande dia pra esse começo, basta agirmos.

 

Setembro ♥

Mês de setembro já está dando tchauzinho e outubro roubando a cena. Esse mês passou muito rápido! Eu nem tive tempo de fazer muita coisa além de estudar. Não que isso seja ruim, é ótimo! Mas o pouco tempo livre que tive eu pude conhecer coisas novas e até comprar algumas outras. Então eu vou fazer um top com as coisas que mais gostei e as que mais me afetaram porque o mês não foi só de flores.

Vídeos:

Eu passo boa parte do meu tempo livre no Youtube , assisto vídeos de todos os gêneros, desde vlogs à tutoriais. Mas sempre tem um que entra pros meus queridinhos e eu revejo algumas vezes. Alguns são até antigos, mas eu só vi esse mês.

Eu achei muito fofinho, apaixonei com pugs depois disso. Like a puga ♫

Eu quase chorei lembrando da minha cachorrinha que faleceu, era desse jeitinho… quando eu chegava em casa ela pulava em mim e fazia tanta festa. Saudade Tita.

Eu sou apaixonada por k-pop, mas o lugar desse clipe, senhor! Preciso conhecer Sapain. E preciso de um grupo de amigas para sair me empurrando no carrinho de supermercado. Alguém?

Mesmo voltando com nova formação, Kara voltou com tudo ♥

E por último minha preferida de Agosto. Eu amo esses ritmos dançantes.

Outros:

 

agosto

1 – Se eu ficar

2 – Minion

3 –  App KakaoTalk muito fofinho!

4 – Corretivo O Boticário

5 – Êxtase 

6 – Minecraft 

Algumas notícias também me chocaram bastante.

Duas membros do grupo Ladie’s Code morreram em um acidente de carro, foi chocante.

E agora, a notícia que a Jéssica saiu do Girl’s Generation… era minha banda preferida de k-pop, infelizmente, não mais.

E a melhor de todas as coisas… o fulano  volta em dezembro, melhor notícia EVER!